Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O direito a não viver

por Amarelinha, em 19.10.19

Quando, aqui, eu me insurgi contra o Papa e as suas estúpidas ideias de dar indicações aos católicos para que não interrompessem a gravidez de fetos com malformações, recebi comentários azedos, até de deficientes.

Deficientes, esses, agradecidos por terem tido direito a nascer.

Fizeram-me sentir mal, mas não me tiraram a razão.

A pobre criança que nasceu há dias, sem olhos, sem nariz, sem parte da cabeça, poderá algum dia agradecer terem-lhe dado o direito de viver?

Eu nem discuto a extrema estupidez de quem fez as ecografias àquela grávida. Tenho a minha opinião sobre o assunto, mas como não sou dona da verdade, fico-me por aqui.

Que vida vai ter aquela família?

Que vida vai ter aquela criança, pessoa, ser humano?

O direito que a criança realmente precisava de ter tido, era o de não nascer, o direito sagrado de não viver a vida horrível que lhe saiu em sorte.

publicado às 21:22



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D